Atletas da Tanzânia venceram a Maratona de Curitiba neste domingo (19). No masculino, Mejam Lucian teve um tempo de 2 horas 23 minutos e 1 segundo. Logo atrás dele chegou o queniano Dicson Kiplagat com o tempo de 2 horas 23 minutos e 48 segundos. Em terceiro lugar um brasileiro: Samuel Ribeiro, que fechou a prova em 2 horas 24 minutos e 30 segundos.

Samuel é motorista particular e treina cinco vezes por semana nas ruas de São Paulo, onde reside. Ele treina há seis anos e, para a Maratona de Curitiba, fez um preparo de três meses. No pódio feminino, a vencedora foi a tanzaniana Anjelina Yumba, com 2 horas, 38 minutos e 45 segundos. Janete Tedesco, de Santa Catarina, ficou com o segundo lugar, seguida da também brasileira Adriana Domingos da Silva.

A Global Vita, organizadora do evento pela primeira vez, contabilizou que dos  6,5 mil inscritos, 40% eram de pessoas vindas de outros locais. Houve participantes de todos os estados brasileiros, incluindo o Distrito Federal, além de cinco países: Tanzânia, Quênia, Estados Unidos, Bahrein, Argentina e Paraguai. Estima-se que os cerca de 2.600 maratonistas “viajantes” podem ter movimentado cerca de R$ 40 milhões na indústria turística curitibana, gastando com hospedagem, alimentação, transporte entre outras despesas necessárias de viagem.

O diretor de negócios da Global Vita, Arthur Trauczynski, destacou o envolvimento da cidade com a Maratona de Curitiba. “Além do esporte, nós procuramos valorizar a cultura, o turismo da cidade. E as pessoas entenderam nosso chamamento de #NossaMaratona que foi a valorização da principal corrida de rua de Curitiba e uma das mais importantes do Brasil”, disse.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *